15 de dez de 2010

Nazis fazem Apologia ao Estrupo de Companheiras Lésbicas/Mulheres na internet

Há dias lemos uma denúncia feita no blog “Feminismo Construtivo” que nos possibilitou juntar as peças do estudo sobre a História da Homofobia e Origem e Violência do Patriarcado publicados abaixo(leiam as duas para entender a argumentação desta postagem).
A postagem descreve com riqueza de detalhes as ações de comunidades masculinas do Orkut que pregam, com ar religioso e pseudo-educado, o estupro de lésbicas, adolecesntes e mulheres. O que eles denominaram de “Penetração corretiva: Lesbicas” .
Segundo o texto do blog, o argumento/justificativa destes escroques é que a “penetração corretiva é uma ato de amor”, mesmo que for sem a vontade delas, pois possibilitaria tirar a mulher do “caminho da perdição através do amor introduzido por um varão capacitado”. Pois “a mulher outrora desviada do caminho natural agora cumpre seu divino papel de acolher o amor”, ou seja, REPRODUÇÃO NATURAL.
Neonazismo e Lesbofobia
Um dos fakes escreve que “A penetração correctiva é uma decisão unilateral do conselho de elders. Um varão capacitado é designado para fecundar a fêmea arisca e arredia. A opinião delas nunca contou e nunca contará. O importante é fazer o bem. O amor nos guia. Lutar para legalizar algo que não é crime.”
Há tópicos nas tais comunidades como: “Pela legalização do Stupro”, “Dicas e sugestões para um iniciante (de penetração corretiva)”, “Sexo supresa=Evolução”, “Na própria mulher/namorada vale?”, “Homossexuais são pedófios incuraveis” e por aí vaí. Leiam o texto do blog “Feminismo Construtivo” para maiores informações.
em um dos posts um fake adota o termo "feminazi" para designar feministas, que pra eles, ao que parece, devem ser lásbicas. É significativo saber que os homens machistas só adotam o termo "feminazi" para designar sua revolta sobre um fato real, e que eles não admitem: as feministas consideram a masculinidade (e a feminilidade) totalmente dispensável para a existência humana. 
Como todos os valores que constituem o patriarcado e lhes outorga poder são invalidados na descrença da masculinidade, os homens machistas temem o feminismo como capitalistas temem Marx, pois sabem queremos sim a toda e total destruição, mas a destruição de tudo que significa patriarcal (machismo, racismo, capitalismo, etc).
Estupro e homofobia são violências correlativas e derivadas que se apresentam muitas vezes juntas com a miséria humana. Ao entender que os Nazistas são/foram capitalistas que acreditam na supremacia branca, cristã e heterossexual, que utilizaram todos os meios possiveis para acumular mercado, matéria-prima e exploração barata de mão-de-obra.
Tudo para ascenderem economicamente ou garantirem os ociosos privilegios capitalistas, ou seja, patriarcais.
Estes não admitem qualquer comportamento, ideologia ou oposição a heteronormatividade que olham e os fazem olhar para as mulheres e idolatram a merda da nossa capacidade biológica (maternidade) disignada por eles como fundamental.
Se eles exaltam os futuros líderes/homens de sua nação como seus, é por que sabem a violência que isso significa. O privilégio que traz ao mundo capitalista.
A violência coesiva do estupro é uma ação de poder histórica, antes utilizada em presídios com os próprios estupradores, para inferiorizar e impor dominação através da proximidade física e da psicologia do medo. Tão fascista e necessária é a exigência da heteronormatividade que o projeto Bolsa Estupro faz com que venhamos a ser prostitutas de nazistas religiosos, permitindo que o principal instrumento do patriarcado, o Estado, reserve uma garantia econômica na criação de filhos provinientes de tal violência, ou seja, não é o pênis a arma do machismo, mas o Estado e a economia que disparam sobre nós a exigência heterossexualidade e da dependencia ao capital, pra gerar a maternidade compulsiva mantededora do capitalismo patriarcal. Mas, queiram os homens ou não, o corpo ainda é nosso. E podemos amar outro corpo igual ao nosso.

Viva o movimento feminista

Patrick Monteiro e Ana Clara Marques
(Grupo Revolucionário de Intervenção Feminista Maçãs Podres)

13 comentários:

Anônimo disse...

Bom,eu não levo comunidades assim á serio,porque é muito nacara que estes idiotas querem fazer polêmica.Eu já comunidades mais serias e sutis,disfarçadas de cavalheirismo como a "moças de família","namoradas perfeitas","eu sou para casar","mulher do século 21,que nojo!"...em nenhuma delas vcs verão algo assim na cara,mas tem bastante homem monitorando dando "lembretes" de como deve ser a "mulher ideal".

Obviamente umas merdas dessas devem ser denunciadas,não tem a menor graça fazer piadas com crimes hediondos...mas é nas sutilezas que o backlesh tem agido com mais força.

Maçãs Podres disse...

É verdadeiro o que você disse,
mas na dúvida...

Anônimo disse...

"É verdadeiro o que você disse,
mas na dúvida..."

É mas é aquela velha estória,apologia á crime é sempre apologia á crime,não devemos deixar de denunciar,assim como as comunidades racistas,facistas,e outros "istas" absurdos que se tem por lá,aliás,o orkut já se tornou um reduto de criminosos faz tempo.De todo caso,é mais fácil ter uma comunidades dessas tiradas do ar do que as mais sutis.Uma vez eu denunciei a "moças de família" e o que recebi do orkut foi aquela velha ladainha sobre "liberdade de expressão".Eu andei visitando na época uma tal de "garotas que não dão" para ver se as guerias lá abriam a cabeça,mas só levei pedradas.
Então,por estas razões eu não ligo para as merdas que o Pondé,o Nazisff,uns babacas posers ficam escrevendo,de forma surreal e ignorante até.Os agenciadores do patriarcado são mais sutis e mais carismáticos,eles querem as mulheres a favor deles,não contra como estes idiotas aí fazem.É por isso que é difícil quebrar a alienação feminina e é nisso que temos que nos concetrar e trabalhar mais em cima.

Anônimo disse...

Tanto comunidades do tipo 'moças de família' quanto 'estupro corretivo' são as duas faces do mesmo sexismo e misoginia. Um é o sexismo benevolente que se disfarça no tratamento cordial ás mulheres e no outro o sexismo hostil que tem na violencia explícita outra maneira de controle.
Tenho um texto no esnips muito bom a respeito disso:Sexismo hostil e benevolente http://www.esnips.com/doc/12925f2c-af86-4d7e-ae62-a55df7d271d0/SEXISMO-HOSTIL-E-BENEVOLENTE_inter-relacoes-e-diferencas-de-genero
Arttemia Arktos

Anônimo disse...

O problema é que os ponde nazisf e outros tem um espaço na mídia que muitas vezes o feminismo não tem e justamente por possuir esse espaço, eles tem uma aura de 'credibilidade' que pode fazer com que @s desavisad@s aceitem as bobagens machistas que propagam como verdade e aumentam o preconceito contra nós feministas. Imagine se os nazisf e o ponde falassem com o mesmo preconceito contra homo e negros?

Acho que temos que responder a esses e a todos que tentam desvirtuar o feminismo para servir ao patriarcado e afastar as mulheres da busca por sua autonomia e libertação.

Porque tanto pondes e nazisfs e esses dessas comunidades hostis e benevolentes o que querem é isso mesmo: alienar as mulheres do movimento feminista para que elas possa continuar sendo exploradas e silenciadas no patriarcado.
Arttemia Arktos

adilia disse...

Fiz um post sobre este tema no meu blog. è melhor levar esta gente a sério porque cuidado e caldos de galinha nunca fizeram mal a ninguém

Anônimo disse...

De uma forma geral,não etsou dzinedo que não devemos levar estes cretinos á serio,mas jpá repararem que quanto mais nós falamos,mais eles debocham,mais eles tomam força,mais eles se fazem de "vítimas"? Cada vez que uma feminista ou um homem simpatizante aparece lá e contra ataca,mais os cretinos se fortalecem e mais o pessoal peerde a linha,justificando aquele chavão que "feminista é tudo louca que não sabe argumentar".Já vi até palavrões em blogs que postaram sobre o assunto.

Além do mais,também já vi muitos assuntos relevantes serem esquecidos da mídia porque não fizeram eco,como o caso de um bebê estuprado e morto em Nova Iguaço,zona metropolitana do Rio.Então,por que ficams perdendo tanto tempo com Pondés,Andr´s e Nazifs? Com toda sinceridade,os textos desses indivíduos mais parecem tererm sidos escritos durante uma viagem de ácido!O que que tem a ver rúcula com o movimento de mulheres? É pura maluquice!E o outro lá comparando homens estupradas na prisão com a ameaça de estupro que sofremos nas nossas vidas em todos os lugares!E o pior: se julgam fontes de sapiência!

Com caras assim,não vale a pena,a gente tem que é fazer uma campanha(panfletos,reuniões,etc) sem depender desta mídia nogenta.Não temos espaço na mídia convencional? Dane-se a gente cria a nossa,por que não? além do amis,tem muita gente que nem sabe quem estes cretinios sção,estão lá aceesando futebol,mnaquiagem,jogos,nem na televisão( nem na Globo) vi algo á respeito...só mesmo no meio "intelectual" que eu escuto falar de Pondé,Nazif etc.

Então,por que ao invés de gastarms energias com estes cretnos,não nos articulamos mais?Eu acho lamentável ver tanta feminista tentando desmentificar o termo "feminazi",tanta energia disperdiçada que poderia ser usada em campanhas a favor das mulheres.E por que se ofendem tanto com isso? Já fui chamada de tudo o que é nome( nazista,comunista-louca,reacionária,doida,anti-feminista,ignorante,agenciadora de patriarcado,já até me falaram que eu era um homem disfarçado =p)até memso por feministas,imagina se eu ficasse remoendo e tentando me justificar para este pessoal ao invés de me concentrar na causa maior.Eu nem estaria aqui,pra ser sincera,não é mesmo?

Então,vamos nos coçar para que o maior número de mulheres estejam ao nosso favor e que num futuro breve,quando um idiota Pondé,Andre,Nazife & cia,termos autoridaee para colocar uns sujeitos desses na cadeia.

Anônimo disse...

Ah,e só respondendo á Artêmia:

"Imagine se os nazisf e o ponde falassem com o mesmo preconceito contra homo e negros?"

O movimento de negros e homossexuais estão bem mais organizados do que nós.Aqui no Rio teve a semana de Consciência Negra,homenagem á João Cândido(dentre outras comemorações da luta/memória do povo negro e africano) ,e vc pode ver faixas enormes estendidas em alguns predios do centro com mensagens contra homofobia.Agora eu leh pergunto: jpá viu algo asim em relação oa feminismo? Eu nunca vi uma semana de homegam á Berta Luz,á Siomone B.(não sei escrever o sobrenome dela =p),ou qualer outra feminista importante e muito menos faixas.è como se a luta da mulher,o problema da mulher não existisse,como bem descreve Tania Navarro Swan: o que agrava o machismo é sua invisibilidade.

Nós mulheres não temos nada que celebre a história de nossas lutas,nenhuma heroína celebrada,nada..os mínimos direito que conseguimos párecem terem "caído do céu" porque nem em livros de hist´ria me recordo de ter alguma referência,só um breve "as mulheres conqyhistaram o direito de votar" e pronto.Alémd o amis,eu nunca vi femisnitas seram exaltadas como grandes benfeitoras da humaninade como Gandhi ou outro qualquer;nem são consideradas espíritos iluminados pelo espiritismo/religiões como tantos homens que nada de extraordinário fizeram o são ou condecoradas como humanistas.Ou seja,não não temos nada,não somos nada,e se assim somos,então,por que alguém iria levar ofensas feita contra nós á sério? E isso deixa as organizações sem poder,porque eu já enviei um outro texto do Pondé para Cedim e afins e nada aconteceu,o cara continua por aí escrevedo merdas e nos dando diploma de malucas.

Então,para agente ter força,a grande massa de mulheres tem que estar ao nosso favor,assim como a maioria dos negros estão a favor da luta racial,e os homossexuais,a favor do movimento GLS.

Anônimo disse...

As mulheres negras enfrentam o machismo dos homens negros e o machismo dos homens brancos. As lésbicas tem que lutar por visibilidade dentro do movimento LGBT. O problema não é o feminismo não ser organizado e sim as mulheres serem invisibilizadas dentro da sociedade e dentro dos movimentos que lutam por igualdade. E o feminismo não só é invisibilizado como é atacado, ridicularizado e combatido em todas as mídias, em todos os espaços.


Quanto a datas, acabamos de participar dos 16 dias de ativismo pelo fim da violencia contra mulher, temos o dia 8 de março, temos a Marcha Mundial das MUlheres, o dia 28 de setembro é o dia da luta pela legalização do aborto na America Latina e etc.


É pra isso que existem os blogs feministas, as organizações feministas, as entidades feministas, as intelectuais feministas para propagar e defender as causas feministas e levar a mensagem do feminismo para o maior número de mulheres possível.

Eu acho que somos muito e muitas. E temos conseguido vitórias. Mas ainda temos muito o que fazer, porque o patriarcado não dorme no ponto e a cada passo que damos, a reação vem com força.

Arttemia Arktos

Anônimo disse...

Não sei se é possível,mas antes de aprovar meus comentários,se pudessem dar uma força aí em corrigir os erros que cometo...cara,dá até vergonha ><,mas acho que o pessoal entende...datiligrafar "catando milho" é F* =p!

mas continando:

"Quanto a datas, acabamos de participar dos 16 dias de ativismo pelo fim da violencia contra mulher, temos o dia 8 de março, temos a Marcha Mundial das MUlheres, o dia 28 de setembro é o dia da luta pela legalização do aborto na America Latina e etc."

Sim,existem manifetações,mas o que quis dizer é que não chegama oa grande público de mulheres,só gente "da área" é que fica sabendo,tom,a parte...mesma coisa em relação aos blogs.Eu já tinha postado este argumento em outra ocasião: quem acessa bolg feminista é feminista.Mulher "comum" está lá acessando futilidades,como estes blogs de beleza.Muitos deles tem mais de 1000 seguidoras.

E mais uma vez,outra questão.Não sei em que Estados vcs estão,mas tenho certeza que no RJ não é.Aqui é ponto morto para feminismo( aliás,acho que é para qualquer outra coisa;muitas manifestações se analizarmos bem são festivas).O movimento feminista ele parece ser concentrados em alguns Estados,e aacho que é em SP e no Nordeste que ele tem mais força,pelo o que me falaram.

Em outras palavras,sem querer desanimar ninguém,muito pelo contrário: não estamos fazendo propaganda em massa.Por isso que já faz um tempo que eu venho falando para a gente se reunir,ver quem vai poder,quem está aí perto,etc.

Eu de minha parte não tenho paciência para escrever blog(detonei o meu por causa disso),a colaboração que possso dar é divulgação e assuntos para textos.Outras podem ajudar em outras áreas,e por aí vai.

Maçãs Podres disse...

quanto aos erros de digitação)
Nós do Maçãs Podres reconhecemos que os erros ocorrem pela necessidade da pessoa que escreve, se expressar sobre o tema, o digitando rapidamente. Na medida que não haja impedimento do que deseja ser passado, não corrigimos nenhum comentário.
Nossa moderação existe não para editar comentarios, mas para evitar "comentaristas" que usam de má-fé. Por isso postamos os comentários na íntegra, sem alterações.

olga r. disse...

Muito importante esse texto. A lesbofobia é expressa nessa sociedade de tantas formas, existe tantas formas de estuprar as homoafetivas, cada vez mais refinado.
De um lado somos chamadas de aberrações de outro lado somos fetiche lesbofobico.
Tem uma parte que temos que nos atentar e refletir sobre "não é o pênis a arma do machismo". Sei que estamos em uma sociedade falocentrica, e concordo que o penis não seja a unica arma do machismo, mas se a gente analisar com mais cuidado, vamos acabar percebendo empiricamente que é uma das principais armas.
Tem um texto chamado "A Causa Contra a Heterossexualidade"
https://materialfeminista.milharal.org/2012/10/27/traducao-lesbianismo-politico-a-causa-contra-a-heterossexualidade-primeira-parte/
"A função da penetração A penetração é um ato de grande significância simbólica pela qual o opressor entra no corpo do oprimido. Mas é mais do que um símbolo, sua função e efeito é a punição e o controle das mulheres. Não é só o estupro que serve a esta função, mas todo ato de penetração, mesmo aquilo que é eufemisticamente descrito como “fazer amor”. Todas ouvimos os homens falando sobre uma mulher insolente: “o que ela precisa é de uma boa foda”. Esta não é uma observação inútil. Todo homem sabe que uma mulher fodida é uma mulher sob o controle dos homens, cujo corpo está aberto aos homens, uma muher que é domesticada e quebrada. Antes da revolução sexual não havia qualquer dúvida sobre a penetração ser para o benefício dos homens. A revolução sexual é um contro do vigário. Serve para dissimular a natureza opressiva da sexualidade masculina e somos ditas que a penetração é para nosso benefício também"

olga r. disse...

Muito importante esse texto. A lesbofobia é expressa nessa sociedade de tantas formas, existe tantas formas de estuprar as homoafetivas, cada vez mais refinado.
De um lado somos chamadas de aberrações de outro lado somos fetiche lesbofobico.
Tem uma parte que temos que nos atentar e refletir sobre "não é o pênis a arma do machismo". Sei que estamos em uma sociedade falocentrica, e concordo que o penis não seja a unica arma do machismo, mas se a gente analisar com mais cuidado, vamos acabar percebendo empiricamente que é uma das principais armas.
Tem um texto chamado "A Causa Contra a Heterossexualidade"
https://materialfeminista.milharal.org/2012/10/27/traducao-lesbianismo-politico-a-causa-contra-a-heterossexualidade-primeira-parte/
"A função da penetração A penetração é um ato de grande significância simbólica pela qual o opressor entra no corpo do oprimido. Mas é mais do que um símbolo, sua função e efeito é a punição e o controle das mulheres. Não é só o estupro que serve a esta função, mas todo ato de penetração, mesmo aquilo que é eufemisticamente descrito como “fazer amor”. Todas ouvimos os homens falando sobre uma mulher insolente: “o que ela precisa é de uma boa foda”. Esta não é uma observação inútil. Todo homem sabe que uma mulher fodida é uma mulher sob o controle dos homens, cujo corpo está aberto aos homens, uma muher que é domesticada e quebrada. Antes da revolução sexual não havia qualquer dúvida sobre a penetração ser para o benefício dos homens. A revolução sexual é um contro do vigário. Serve para dissimular a natureza opressiva da sexualidade masculina e somos ditas que a penetração é para nosso benefício também"